Tamanho da letra A+ A-
 

Prática do Lian Gong melhora a flexibilidade e qualidade de vida de idosos


A melhoria da qualidade de vida através do treinamento constante em busca de equilíbrio e maior consciência corporal é apenas um dos objetivos da técnica chinesa Lian Gong, introduzida no Brasil na década de 1970 e foco de um estudo desenvolvido por um grupo de pesquisadores do curso de Fisioterapia da Faculdade Santo Agostinho.


Através do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC) da FSA, a professora Ma. Cristiane Lopes coordenou o estudo “Análise da flexibilidade e qualidade de vida em idosos praticantes de Lian Gong”, desenvolvido em parceria com os alunos Aniclécio Mendes (bolsista), Ingrid Carvalho e Luana de Freitas (colaboradoras).


O estudo realizado pelo grupo investigou, por meio de revisão bibliográfica, os benefícios do uso da técnica chinesa por idosos: “O Lian Gong é uma técnica chinesa que consiste em 18 terapias e foi criada com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, proporcionando, por exemplo, a melhoria da função pulmonar e o fortalecimento de membros superiores e inferiores. É uma técnica que, apesar de ser pouco usada, vem ganhando espaço como uma terapia complementar”, explica Aniclécio.


Tendo como foco a prevenção e a promoção do equilíbrio entre corpo e mente, a técnica de Lian Gong tem sido utilizada por profissionais da área da saúde como forma de tratar e promover o bem-estar, especialmente com pacientes idosos: “Entre os chineses, o Lian Gong é uma atividade física como é a caminhada pra gente. É feita em grupo, sendo uma técnica de baixa intensidade, que não oferece tantos riscos. Para praticar, os idosos têm que ter boa capacidade cognitiva e equilíbrio, pois movimentamos diversas partes do corpo”, explica a estudante Luana de Freitas.



Os principais benefícios identificados pelos pesquisadores estão relacionados a aspectos físicos e sociais associados à prática do Lian Gong. Conforme destaca Luana, é comum que idosos acabem, aos poucos, se isolando do convívio social ou julgando-se incapazes de realizar determinadas atividades. Por ser uma técnica que pode ser feita em grupo, a estudante ressalta que os benefícios sociais advindos da prática do Lian Gong são tão importantes quanto a melhoria dos aspectos físicos.


De acordo com Aniclécio, o uso da técnica chinesa em pacientes idosos pode proporcionar o “aumento da flexibilidade, fortalecimento de membros superiores e inferiores e a melhoria das funções cardiorrespiratórias e cardiovasculares, uma vez que os movimentos estimulam os membros, aumentando a circulação sanguínea”, diz.


Atualmente egressos do curso de Fisioterapia, os pesquisadores relatam a importância do estudo para sua formação: “A gente se interessou por esse tema porque a Fisioterapia trabalha tanto na prevenção, quanto na promoção da saúde, além da reabilitação. A participação na pesquisa trouxe pra nossa vida acadêmica uma experiência incrível, porque a gente descobriu que o Lian Gong pode proporcionar benefícios que antes a gente achava que só poderiam ser alcançados dentro de uma clínica. Hoje a gente sabe que, em uma praça, numa escola, ou num auditório, podemos trazer os mesmos benefícios, de forma mais relaxante e divertida, até mais social”, conclui Luana.


 
LEIA MAIS